Adubação do Bonsai – Tudo que você precisa saber

Home/Curiosidades/Adubação do Bonsai – Tudo que você precisa saber
Adubação do Bonsai – Tudo que você precisa saber 2016-02-28T23:16:09+00:00

Quando devemos adubar um bonsai?

Geralmente, durante o primeiro ano, a quantidade de micro e macro nutrientes que a mistura tem é suficiente para manter viva qualquer planta. Pode ser o caso de uma planta que dá flores ou frutos. Ela vai precisar de uma quantidade maior de fósforo, de micro e macro nutrientes. Isso se faz na época em que começa a atividade da planta.

E quando não devemos adubar um bonsai?

-Primeiro: Nunca adubar logo após ter podado as raízes de uma planta, ou logo após replantá-la. Lembre-se de nunca colocar nenhum tipo de fertilizante na mistura inicial para bonsai.

-Segundo: No inverno, pois tiramos a planta da dormência, podendo chegar a estressá-la ou até mata-la.

-Terceiro: Quando a planta mostrar sinais de enfermidade. Adubar neste momento seria como dar uma feijoada a um paciente recém operado de úlcera estomacal.

Quando uma planta começa sua atividade?

No fim da primavera é quando a planta mais necessita de nutrientes, porque ela está consumindo os que existem na terra para produzir folhas e flores. Então, o que nós estamos fazendo é devolver à terra os nutrientes que a planta consumiu da mistura original. Por outro lado, o excesso de micro e macro nutrientes pode fazer com que a planta cresça demais e tenhamos que retroceder todo o processo, podando de novo os galhos que estavam engrossando e que nós não queríamos que acontecesse no modelo original.

Em que época do ano devemos adubar o Bonsai?

A melhor época é a do crescimento da planta, que vai do final da primavera até o final do verão. O ideal seria fazer uma adubação completa, bem forte, durante a primavera e o verão. Chegando ao final do verão, para-se com esse processo. Se você mora numa área onde pode haver geada, onde os invernos são rigorosos, é interessante que no final do verão se aumente a fertilização da planta com potássio, porque ele fortalece os tecidos das raízes. E com raízes mais fortes, a planta pode aguentar a geada ou o frio mais intenso.

Qual o melhor para o Bonsai: fertilizante químico ou natural?

Isso é uma questão de gosto. Vamos tentar falar dos dois. Um adulto natural poderia ser torta de mamão, farinha de peixe ou farinha de sangue. Todos são elementos que depois de aplicados sobre a planta, fazem com que ela processe e separe os micro e macro nutrientes. Ou seja, os micro-organismos que existem na terra têm o trabalho de liberar nitrogênio, fósforo, potássio, enxofre, manganês, ou seja, todos os nutrientes de que a planta necessita. Os adubos químicos, ao contrário, já colocam esses elementos liberados. Ao colocar, por exemplo, NPK como adubo para a terra, eles trazem o nitrogênio liberado. Não é necessária a ação dos micro-organismos para liberar esse elemento da matéria ainda orgânica.

Não há nenhuma relação de vantagem ou desvantagem entre adubo químico e natural?

A diferença principal é que no adubo natural são os microorganismos que separam os micro e macro nutrientes. A planta é que separa nitrogênio, fósforo, potássio. Uma torta de mamão, por exemplo, para liberar nitrogênio pode demorar de 10 a 15 dias. A fórmula do NPK, ao contrário, tem ação imediata. Ao mesmo tempo em que pode trazer risco maior de se dar uma “overdose” de nitrogênio e matar a planta. No caso dos adubos naturais, a planta vai liberando esses elementos à medida em que ela necessita. Se nós exagerarmos e colocamos adubo químico em excesso, vai haver uma parte que a planta não irá assimilar e essa sobra pode provocar o surgimento de pragas. A melhor maneira de atrair uma praga para a planta, como os pulgões por exemplo, é adubar em excesso. Porque a planta vai estar transpirando, vai estar liberando os nutrientes de que não necessita.

Com que frequência se deve adubar o Bonsai?

A frequência depende do resultado que pretendemos obter. Nós já vimos que o nitrogênio faz crescer a parte verde, o fósforo dá crescimento à frutificação e floração, e o potássio age nos tecidos da planta. Como regra geral, pode-se dizer que uma planta que já está na sua forma ideal, qualquer que seja a espécie, deve ser adubada uma vez por ano, durante toda a primavera, em intervalos de 15 dias. Mesmo tratando-se de adubos químicos ou naturais, isso seria suficiente. Porém, se levarmos a planta, ou se tivermos uma fase de chuvas pesadas, a água poderá lavar a terra e tirar dela os elementos necessários. Então, teremos que recompor a saúde da terra fazendo uma nova adubação. Mas tudo isso depende muito da prática e da observação.

O uso de fertilizantes pode trazer algum tipo de risco para quem tem animais em casa?

Pode haver algum risco para a planta se alguém usar um fertilizante natural como farinha de osso, ou farinha de peixe. Se alguém estiver cultivando uma planta no mesmo espaço onde tem gatos ou cachorros, é melhor evitar adubos naturais porque, com certeza, os animais vão acabar destruindo a planta procurando pelo osso, ou pelo peixe. Esses produtos podem mesmo chegar a ser tóxicos para os animais. Então, quem tiver animal de estimação é melhor não utilizar adubos naturais para evitar essa atração, esse cheiro.

E quando a outros tipos de animais, como os insetos, por exemplo?

Certos tipos de insetos, larvas, lesmas, caracóis, são atraídos pelo cheiro dos fertilizantes naturais. É outro fator que se deve levar em consideração. Para evitar a presença de insetos é preferível a utilização de adubos químicos. É claro que se a pessoa não tiver o adubo químico pode usar tranquilamente o natural. A diferença é que o adubo químico pode ser mais confiável quanto à graduação de nitrogênio, fósforo e potássio. É difícil saber quanto potássio vai liberar uma torta de mamona ou quanto fósforo vai liberar uma farinha de osso.

O iniciante no Bonsai deve ter muito cuidado quando estiver utilizando o adubo químico?

O cuidado é o seguinte: excesso de nitrogênio mata uma planta. Excesso de fósforo e de potássio não. Geralmente, quando se aduba demais e a planta morre, foi pelo excesso de nitrogênio. É preferível que o iniciante evite adubar a planta. Basta ter o cuidado de trocar a terra uma vez por ano, isso é mais que suficiente. A planta não precisa “engordar”, temos apenas que mantê-la com saúde, como se ela estivesse num “spa”.

Lembre-se: morrem mais plantas por excesso do que por falta de adubação.

Texto extraído da revista O mundo do Bonsai – Marcelo Miller. Ano 1 nº2 Ed. Online