Como fazer a poda de Raízes do Bonsai

Home/Curiosidades/Como fazer a poda de Raízes do Bonsai
Como fazer a poda de Raízes do Bonsai 2016-02-28T23:18:37+00:00

De quanto em quanto tempo devemos podar as raízes do Bonsai?

A princípio, isso depende da mistura de terra que nós fizemos. Se colocarmos mais areia do que pedrinhas, a areia vai provocar o crescimento rápido das raízes. Se utilizarmos pedrinhas na mistura ideal, a poda deve ser feita, aproximadamente, a cada dois anos.

Como é possível saber se as raízes do Bonsai necessitam de poda?

Primeiro, devemos observar os buracos de drenagem. Se percebermos que as raízes começam a sair por baixo, a poda é urgente, porque podemos até matar a planta. Outra manifestação de que a planta necessita de poda nas raízes é quando começam a surgir elevações, como pequenas montanhas, na textura do vaso. A terra começa a levantar porque as raízes não têm mais para onde ir. Mas tudo isso geralmente é feito a cada dois anos, dependendo do crescimento da planta. Uma boganville, por exemplo, tem que ser podada pelo menos uma vez por ano. Um pinheiro preto, uma vez a cada três ou quatro anos, porque o crescimento de suas raízes é muito mais lento que o crescimento das raízes de uma azaleia ou de uma boganville.

Existe alguma regra para a poda de raízes do Bonsai?

A poda das raízes é uma das partes mais críticas para que um bonsai tenha bons resultados. E também é uma das partes que exigem maior cuidado. A melhor época de poda das raízes é no começo da primavera, no momento em que a temperatura começa a se elevar, porque o calor dilata toda a estrutura da planta e isso facilita a recuperação.

Quantas raízes podem ser retiradas de uma planta?

Isso varia muito de acordo com a prática de quem está podando. Tomando todas as precauções para não machucar as raízes, em geral você pode chegar a podar de 30% a 40%. Mas não é só isso. É preciso levar em consideração a espécie de planta. Por exemplo, não podemos tirar 50% das raízes de um pinheiro, porque elas demoram muito para crescer. Ao contrário, podemos podar 60% das raízes de uma Azaléia ou de uma Primavera, porque em apenas três meses elas já estão plenamente recuperadas. É fundamental que, antes de podar uma planta, nós saibamos se seu crescimento é rápido ou não. Dessa forma, determinaremos a quantidade de raízes que vamos podar.

Não existe o risco de cortar uma raiz que seja vital para a planta?

Se a planta tem poucas raízes finas, temos realmente que agir com cuidado, porque são elas que mantêm toda a estrutura aérea. Mas não é preciso ter medo de podar as raízes mais grossas, que servem apenas para sustentar a árvore na terra, porque a planta estará num vaso junto com outros elementos de sustentação.

Existe algum produto que ajude na recuperação da planta após a poda da raiz?

Há a vitamina B1, chamada Tiamina, que deve ser diluída na água em uma solução de 0,5%. Com este preparado, você pode molhar a planta transplantada e obter melhora de 90% na recuperação rápida e saudável das raízes.

Como saber se a planta resistirá a uma poda drástica de raízes?

Há uma dica para reconhecer isso. Quando se trata de uma planta de fácil enraizamento, ela pega de estaca. Ou seja, se tirarmos uma estaquinha, colocarmos na terra e ela enraizar, aí podemos podar tranquilamente 50% ou até mais. Mas quando uma planta é muito difícil de se reproduzir, ela não cresce de estaca, cresce apenas a partir de uma semente. Nesse caso, sabendo que ela tem um sistema radicular bastante delicado, não devemos podar mais do que 25%.

Quais são os cuidados mais importantes após a poda de raízes?

Em bonsai, o “pós-operatório” de uma poda é um dos momentos mais críticos que existem. Disso vai depender o êxito ou fracasso do nosso trabalho. Quando podamos as raízes de uma planta, é como se a sua parte aérea ficasse temporariamente desconectada do planeta Terra. Não há comunicação entre aquilo que está no vaso e a parte aérea. Se após a poda das raízes colocarmos a planta no sol, suas folhas vão secar. Consequentemente, vão pedir umidade ás raízes. Mas como as raízes não estão presentes, as folhas vão morrer. E assim morrerão também os galhos e o tronco. Então, o cuidado mais importante com a planta que teve suas raízes podadas é mantê-la na sombra e protegida do vento. É preciso, ainda, manter as folhas continuamente úmidas. É como se tivéssemos que “dar comida na boca da planta”. É nossa responsabilidade de preservar a umidade das folhas e dos galhos, porque as raízes ainda estão debilitadas.

Em quanto tempo as raízes voltam à função normal?

Vinte dias, mais ou menos, é o tempo necessário para que as raízes se recuperem. Mas elas devem recomeçar lentamente suas atividades. Coloque a planta ao sol por cerca de uma ou duas horas diárias, durante 30 a 45 dias. Após esse período, podemos colocá-la diretamente ao sol ou na luminosidade que ela requer.

Posso podar uma planta que já está com flores?

Devemos considerar uma planta que está carregada de frutas ou flores como se ela fosse uma mulher grávida. Qualquer tipo de operação numa gestante é muito delicada e acarreta riscos de vida para a mulher ou para a criança. O ideal é que não se mexa nas raízes de nenhuma planta que esteja com flores ou frutos, até que eles caiam completamente.

Quais são os hormônios importantes para as plantas?

As plantas produzem vários tipos de hormônios. O mais importante é o ácido indol-acético ou auxina. As auxinas são responsáveis pelo crescimento de folhas, galhos e raízes.

É possível aplicar hormônio de enraizamento no Bonsai?

A utilização de hormônios de enraizamento não é aconselhável, porque eles atuam apenas como vasodilatadores. São medidas muito pequenas, são partes por milhão, que a planta é capaz de assimilar  para dilatar os vasos e melhorar a produção de raízes. Mas se nós errarmos a medida, poderemos estar aplicado uma overdose de hormônios e o efeito será contrário: ao invés de fazer as raízes crescerem, estaremos inibindo seu desenvolvimento. Se nós trabalharmos nas épocas ideais com as mudas e raízes, e fizermos as misturas de terra corretamente, não será necessário tratar a planta com hormônio de enraizamento. A menos que tenhamos muita experiência para saber aplicar o produto que estamos comprando.

Existe uma forma ideal para acomodar as raízes no vaso?

Existe, mas nem sempre é possível praticá-la. O ideal seria acomodar as raízes na horizontal, pois elas tendem naturalmente a ir para o centro da terra, ou seja, as raízes vão para baixo. Como nesse caso não podem mover-se livremente, elas acabam criando enormes pontos direcionados para o centro da terra. Então, estaremos provocando o desenvolvimento de raízes de alimentação para a planta.

Após a primeira poda podemos colocar a planta numa bandeja pequena?

Geralmente não. Normalmente, leva-se de dois a três anos desde a poda, entendendo que a poda tem o objetivo de produzir mais e melhores raízes, até conseguirmos boas raízes. Após três, quatro podas, é que poderemos chegar ao ponto de colocá-la no vaso ideal. Agora, aquela pessoa que tem uma planta, a reduz a 60%, e já a coloca num vaso de bonsai, está brincando com a sorte, ou seja, a planta deve ser passada para os vasos ideais somente depois de três ou quatro anos de podas sucessivas de suas raízes.

O que são boas raízes para bonsai?

São as raízes de alimentação, as raízes branquinhas, fibrosas. Uma vez que a planta está no vaso, na bandeja de bonsai, ela não necessita mais de raízes de sustentação. Generalizando, podemos falar que uma planta tem dois tipos de raízes. Embora isso não seja exatamente verdadeiro, poderíamos simplificar dizendo que a planta precisa de raízes de sustentação e de raízes de alimentação. Na verdade, não necessitamos de raízes de sustentação no bonsai. O que precisamos, é produzir de alguma maneira raízes de alimentação. Isso não significa que a planta vá se alimentar mais, crescer mais. Podemos dizer que a planta que possui mais raízes de alimentação poderá ter uma alimentação mais linear e as raízes trabalhem mais tranquilas.

Como são essas raízes, elas são finas?

As raízes de alimentação são muito finas. São raízes delicadas, com uma extremidade de cerca de dois milímetros que vivem apenas sete dias, no geral. É através delas que a planta se alimenta. Mas nós podemos fazer proliferar mais quantidade de raízes de alimentação, aliviando o estresse da planta em certas épocas do ano. Quando há muito calor, por exemplo, época em que a planta necessita de alimentação. Esse trabalho fica dividido quando a planta tem um número maior de raízes e elas trabalham mais confortavelmente.

Como se deve manusear as raízes?

As raízes são tão delicadas, e as pontinhas tão microscópicas – elas têm dois milímetros e são responsáveis pela alimentação da planta – que precisamos tomar cuidados básicos. Por exemplo, tocar com a mão o mínimo possível; nunca fazer o trabalho de poda das raízes ao sol, ou com as raízes expostas a alta corrente de vento. No momento da poda, a passagem para uma nova terra ou para um novo vaso deve ser uma coisa rapidíssima. Nós também não podemos estar tocando as raízes e sair para atender o telefone, porque podemos estar decretando a morte da planta. Em questão de dois minutos de vento seco as raízes não se recuperam nunca mais. Esse trabalho é imediato e deve ser feito com muito cuidado.

É preciso tirar toda a terra para podar as raízes?

Eu não aconselho isso, até que se tenha uma ampla experiência no manuseio das raízes. Há gente que tem uma planta, uma muda, lava totalmente as raízes e tira toda a terra. Nesse lavar de raízes com um esguicho, geralmente estamos maltratando as raízes. Porque essa terra que fica presa ao tronco, de uma certa forma mantém o pH de que a planta necessita para seu crescimento. Este é um processo que depende da resistência e da adaptação da planta a um novo pH. É lógico que nunca vamos fazer um pH idêntico a outro, mas devemos cuidar para que ele seja o mais próximo possível ao que tínhamos na bandeja original. Uma coisa que sempre aconselho é deixar um pouco da terra original. Tratando-se de um pinheiro ou de certas árvores que são sempre verdes, como o junípero, buxinho, e, sobretudo o pinheiro preto japonês, eles convivem com um fungo chamado micoríssia, que vive na terra, cola às raízes, e está em simbiose com a planta. Ou seja, existe uma troca de alimentação, de amido, entre a planta e o fungo. Se nós lavamos uma planta adulta, ou uma planta média, tirando totalmente a terra, estamos tirando todo o fungo que estava alimentando ou trocando alimento com a planta. Em consequência, a planta morre, porque ela já estava habituada a alimentar-se através desse fungo. Quando você trocar a terra de um pinheiro preto japonês, verá um fungo branco, que parece uma pasta. Ele está sempre colado às raízes ou por perto das raízes. O ideal é sempre pegar um pouco de terra que já existe no vaso e misturá-la com a terra nova, porque o fungo vai voltar a se reproduzir a uma velocidade assombrosa. E vai entrar de novo em simbiose com as raízes, mantendo esse casamento delas com a micoríssia.

Então, quando fizer a poda, também devo trocar a terra?

Se você está fazendo poda das raízes está sempre trocando a terra. Você está tirando de um vaso para passar a outro, ou para replantar no mesmo vaso. E é sempre necessário que se misture um pouco da terra que estava no vaso original com a terra nova. Se a planta está saudável quer dizer que suas raízes estão saudáveis, ou seja, que a terra também está saudável. Se a planta está enferma, deve haver um problema nas raízes. Pode ser algum tipo de infecção. Nesse caso, não vamos colocar de novo a infestação na nova terra. Pode ser que a planta esteja com um problema de nematoides, que é uma coisa que mata, ataca as raízes. Nós não vamos passar os nematoides de volta para a nova terra. Estamos falando de plantas saudáveis que estavam crescendo bem, numa terra boa, porque ali haverá fungos. E já sabemos que nem todos os fungos são prejudiciais. A maioria dos fungos que se desenvolvem na terra, junto às raízes, são fungos que vivem em simbiose com as raízes e fazem a troca de açúcar por amido. E há mais trocas de outros elementos benéficos para as plantas – coisa que ocorre 100% com o Pinheiro Preto japonês. Se é um Buxinho, uma Boganville, uma Primavera, uma Azaléia, você até pode tirar toda a terra, porque são plantas que têm a capacidade de refazer esse fungo. Agora, com um Pinheiro Preto japonês isso não ocorre tão naturalmente, porque é muito íntima a relação entre a micoríssia e as raízes do pinheiro.

Pode-se utilizar a pomada cicatrizante, que é utilizada nos galhos, também nas raízes?

Em toda a raiz que nós podamos, que tenha mais que 5mm de diâmetro, aplicar a pomada cicatrizante é fundamental, porque a raiz é a parte mais exposta à umidade, podendo propiciar a formação de fungos maléficos para a planta. E o problema é o seguinte: se uma raiz começa a apodrecer porque está morta, esse mesmo apodrecimento da raiz é que causa os fungos. E esse fungo vai provocar o apodrecimento de todas as demais raízes provocando a morte da planta. Então, com o maior cuidado, é preciso cortar as raízes de uma maneira limpa, um corte preciso, um corte bem cirúrgico, e passar pomada cicatrizante. Aí vale a pena, de novo, falar o seguinte: um dos melhores produtos que nós podemos usar na poda das raízes é a pasta dental, que tem alta alcalinidade e não permite a formação de fungos.

Texto extraído da revista O mundo do Bonsai – Marcelo Miller. Ano 1 nº2 Ed. Online